CPMF fica fora da reforma tributária e técnicos ainda não sabem rumo do projeto do governo

Receita Federal (Foto: Divulgação)

 

Com a demissão do secretário especial da Receita Federal, Marcos Cintra, a ideia de criar uma “nova CPMF” está praticamente enterrada. O próprio presidente Jair Bolsonaro descartou nesta quarta-feira a possibilidade de inclusão do tributo na reforma tributária do governo.

Segundo fontes da equipe econômica, o ministro da Economia, Paulo Guedes, disse na segunda-feira, durante uma reunião técnica para discutir a reforma tributária, que “se a CPMF caísse, Cintra também cairia.”

O presidente Jair Bolsonaro, segundo interlocutores, já vinha  pressionando Guedes para demitir Cintra  por causa do desgaste política envolvendo a criação da CPMF. A  gota d’ água teria sido o detalhamento da proposta de reforma da Previdência por um adjunto de Cintra na terça-feira. O texto ainda não estava totalmente fechado e repercutiu mal no Congresso.

A desoneração da folha sempre foi uma bandeira de Guedes, que nem gostava tanto da ideia de recriar a CPMF, segundo pessoas próximas. Porém, ela vinha sendo apresentada por Cintra como a solução  ideal e a insistência acabou virando uma estratégia politicamente errada, avaliou uma fonte.

De acordo com essa fonte, Guedes poderá optar por uma desoneração parcial da folha, com corte só para os jovens.