Há oito anos, duas pizzas foram vendidas por bitcoins. Hoje, valem R$ 300 milhões

Pizza (Foto: Reprodução/Instagram)

 

Oito anos atrás, foi feita a primeira compra de um produto real com bitcoins: duas pizzas da rede norte-americana Papa John’s. À época, a refeição custou 10 mil bitcoins. Por causa disso, o dia 22 de maio ficou conhecido como ‘Bitcoin Pizza Day’.

saiba mais

  • “Blockchain é a maior invenção da história da computação”, diz Don Tapscott
  • Para Buffett, o bitcoin é uma especulação não produtiva
  • Goldman Sachs diz que bitcoin não é uma fraude e quer negociar moeda

Quando o programador Laszlo Hanyecz comprou sua refeição, ela custou US$ 30 (R$ 110) – cada unidade de criptomoeda valia US$ 0,003. Quem acompanha um pouco o mercado de moedas digitais sabe que a valorização nos últimos anos foi enorme. Se ele tivesse guardado as bitcoins, em vez de gastar em pizza, teria aproximadamente US$ 82 milhões – ou R$ 298 milhões.

Se hoje não é fácil encontrar pizzarias que aceitem criptomoedas como pagamento, há 8 anos essa era uma tarefa quase impossível. Tanto que a transação precisou de um intermediário: Hanyecz precisou convencer uma pessoa a aceitar os 10 mil bitcoins em troca do delivery, de acordo com o jornal The New York Times.

Foi um marco para a então incipiente indústria de criptomoedas. “O bitcoin não valia quase nada na época, então a ideia de trocá-los por pizza parecia incrivelmente legal”, disse Hanyecz em 2013 – quando a compra já valia US$ 6 milhões. “Ninguém sabia que seria algo tão grande”.

Quer conferir mais conteúdo da Época NEGÓCIOS?
A edição deste mês já está disponível nas bancas, no nosso app e também no Globo Mais. Baixe agora!
App Época NEGÓCIOS – app.epocanegocios.globo.com
App Globo Mais – app.globomais.com.br
Disponível para tablets e smartphones